Título: Ninguém Vira Adulto de Verdade
Título Original: Adulthood Is a Myth
Autora: Sarah Andersen
Ano: 2016
Páginas:
120
Editora: Seguinte
Sinopse: As tirinhas certeiras de Sarah Andersen, que já contam com mais de 1 milhão de fãs no Facebook, registram lindos fins de semana passados de pernas pro ar na internet, a agonia de andar de mãos dadas com alguém de quem estamos a fim (e se os dedos ficarem suados?!), a longa espera diária para chegar em casa e vestir o pijama, e a eterna dúvida de quando, exatamente, a vida adulta começa.
Em outras palavras, este livro é sobre as estranhezas e peculiaridades de ser um jovem adulto na vida moderna. A sinceridade com que Sarah Andersen lida com temas como autoestima, timidez, relacionamentos e a frequência com que lavamos o sutiã torna impossível não se identificar com esses quadrinhos hilários e carismáticos.

*Exemplar cedido pela editora

Na resenha de "Turma da Mônica: Lições" eu havia comentado que tinha a síndrome de Peter Pan, certo? Pois bem, eu não consigo crescer. Ser adulto. Na minha cabeça ainda sou um adolescente, muitas vezes criança, que não está nem um pouco a fim de encarar as responsabilidades de ser adulto.


Quando vi a capa de "Ninguém Vira Adulto de Verdade", de Sarah Andersen, e li a sinopse, pensei: "Esse livro foi feito para mim. Preciso lê-lo!" E foi o que fiz. Solicitei o livro e o li assim que chegou em casa.


Dizer que eu li o livro não é bem o certo. Eu o devorei! Em poucas horas já havia lido/me identificado/me divertido e amado as poucas cento e vinte páginas e já estava me preparando pra reler tudo.


Ninguém Vira Adulto de Verdade é um daqueles amorzinhos que você tem vontade de ficar grudado  para todo o sempre e ficar revivendo cada bom momento vivido com ele. As tirinhas sinceras de Andersen, somadas a seus traços fofos e sua protagonista (autobiográfica?) cativante nos rendem ótimos momentos. Impossível não rir e dizer algo como: "Isso é tão eu" na tirinha em que a personagem não quer sair da cama por "não querer ver gente", ou quando ela não consegue desapegar de seus bichinhos de pelúcia antigos, ou também quando ela treme na base ao ouvir coisas como "Precisamos conversar" e "Ei, posso te fazer uma pergunta?". Ah, e tem as tirinhas que dão título ao livro. Nelas vemos a dificuldade em que a protagonista tem em aceitar a vida adulta.


Essa sensação de "não estou sozinho" ao terminar de ler o livro é simplesmente incrível. Adorei saber que não sou só eu que tem "medo" de virar adulto de verdade. E o mais legal de tudo: soube disso da melhor forma possível! Com o bom humor e talento de Sarah Andersen.


Falar do livro e não falar de sua excelente edição é praticamente um crime. A Seguinte caprichou na edição de "Ninguém Vira Adulto de Verdade"! O livro possui capa dura e um papel de altíssima qualidade.


Em suma, Ninguém Vira Adulto de Verdade é um livro que amei e indico fortemente para todos aqueles que se sentem sozinhos e incompreendidos por não se acharem "adultos de verdade".

Nota:

 


14 Comentários

  1. Que livro mais lindooo!! Quero um desse tambéem!
    Desenhos incríveis, capa incrível e o tema também!

    beijos, jeh
    https://colecionadoresdelivross.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jeh! Né? É lindo mesmo! <3 Espero que você possa lê-lo em breve.

      Excluir
  2. Oi Tony
    Que livro fofo e com um tema bem interessante. Adoro livros do estilo, com ilustrações, ainda não conhecia este e fiquei bem interessada.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nessa! O livro é bem fofo mesmo. Vale muito a pena lê-lo! :)

      Excluir
  3. Olá, tudo bom?
    Eu amo as tirinhas dessa ilustradora e saber que tem o livro agora me deixou super curiosa. Eu me identifico muito com as coisas que ela faz. Acho que vou procurar e comprar.

    Sessão Proibida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lunii! Tudo sim e contigo? Ah, compre mesmo. Tenho cereza que você vai amar o livro! :)

      Excluir
  4. Oi Tony,
    Consigo me identificar com essa síndrome Peter Pan, hein? Sei bem como é isso... Esse livro parece tão amor! Super fofo! Queria ler também.
    A edição parece estar linda mesmo!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ale! Nossa, sério? Achei que só eu que fosse assim... E ele é mesmo, viu? Leia depois. Tenho certeza que você vai amar ele! :)

      Excluir
  5. Vejo muitas tirinhas dela e realmente é um amor.
    Apesar de ser divertido, mostra bem a realidade.
    Beijos
    https://recolhendopalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dany! Pois é, ela realmente mostra a realidade.

      Excluir
  6. Oi Tony!
    Estou aqui rindo da sua síndrome de Peter Pan, rsrs. Mas quem não tem pelo menos uma pontinha dessa síndrome, né? Acho que em algum aspecto, todo mundo mantém um pouquinho da infância ou da adolescência.
    E que maravilha terminar a leitura com essa sensação de “não estou sozinho”.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogssot.com

    ResponderExcluir
  7. Quem não tem síndrome de Peter Pan, pernoca? Todos temos! Também não consigo me imaginar como adulta. Eu sei que sou adulta, me comporta como uma e tenho responsabilidades de uma, mas o que eu queria mesmo era acordar de manhã, pegar meu nescau, deitar no sofá da dala pra assistir desenho até a bunda doer! Hahahahaha

    Amei esse livro, amei tanto que até solicitei ele pq não consegui solicitar mês passado, e vc ficou me tentando no whatsapp! Hahahahahaha

    Beijo
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir