Tem vezes que eu perco a vontade de ler, assistir, ouvir música e acessar as redes sociais. Fico deitado sem fazer nada, só vendo o tempo passar. Essa é uma das piores sensações, né? Então recentemente encontrei formas de reverter isso e sair do tédio. E o que foi que encontrei? Jogos e mais jogos viciantes. Estou tão vidrados neles que não faço mais nada. Errado? Muito. Mas é muito legal hahaha

Separei 5 jogos que curto bastante para vocês conhecerem e (se quiserem) jogar também.

1) Clash Royale (Supercell)




Como funciona? 

Em Clash Royale você monta decks de cartas para defender suas torres e derrubar as do oponente. Cada deck é composto por 8 cartas e você só pode usá-las caso tenha elixir suficiente (as cartas gastam quantidades diferentes de elixir). São dados 3 minutos + 1 minuto de prorrogação (caso haja empate) para você conseguir ganhar (ou perder rs) a partida. Conforme o jogador for acumulando vitórias, ele ganhará troféus que o fará subir de arena (Nessas novas arenas haverão novas cartas que poderão ser desbloqueadas).

Disponível para: iOS e Android

2) Marvel Future Fight (Netmarble)



Como funciona? 

Em Marvel Future Fight você monta a sua equipe de heróis/vilões da Marvel para fazer missões de história ou lutar contra outros jogadores. O grande do diferencial do jogo é a  variedade de personagens, tendo não só os mais conhecidos pelo grande público, como também desconhecidos. Além disso, os gráficos do jogo são bem reais e há a possibilidade de você trocar a roupa dos seus heróis.

Disponível para: iOS e Android 

3) League of Legends (Riot Games)



Como funciona?


Em League of Legends você controla um campeão e se junta com outros jogadores (que controlam outros campeões) para enfrentar uma outra equipe de jogadores. O principal objetivo do jogo é destruir o nexus (um tipo de cristal enorme que se encontra na base adversária) da equipe inimiga.

Disponível para: Microsoft Windows e OS X

4) Power Rangers: Legacy Wars (nWay)


Como funciona?


Power Rangers: Legacy Wars se assemelha a Clash Royale. O que muda aqui é que, ao invés de derrubar torres, você terá de derrubar seu inimigo em combates corpo a corpo. Esses combates são feitos por uma equipe com 3 rangers que você mesmo controla. É um jogo relativamente novo, portanto ainda há alguns bugs.

Disponível para: iOS e Android

5) Marvel Torneio de Campeões (Kabam)


Como funciona?

Esse se assemelha ao Marvel Future Fight, só que as lutas são 1v1 (não há uma equipe de heróis lutando contra vários outros personagens). Além disso, a qualidade dos gráficos é inferior ao de MFF e também há uma menor quantidade de personagens para serem escolhidos. Contudo, Marvel Torneio de Campeões é bem mais leve e menor que o outro. Vale ressaltar que de todos os jogos citados nesse post, esse é o que jogo há mais tempo (desde outubro de 2016).

Disponível para: iOS e Android

E aí? Já conheciam esses jogos? Ficaram com vontade de jogar algum? Se quiserem me adicionar em algum dos jogos, meu usuário em todos é o tonylucas13! ;)



Pequena biografia (retirada do Wikipédia):
Abel Makkonen Tesfaye (Scarborough, 16 de fevereiro de 1990), mais conhecido por seu nome artístico The Weeknd é um cantor e produtor musical canadense de R&B e PBR&B. É conhecido pelo uso de high note e uma sonoridade bastante atmosférica em suas canções. Sua carreira teve maior notoriedade após o sucesso "Wicked Games". Em 2015, ajudou a produzir e colaborou com duas músicas, "Earned It" e "Where You Belong" na trilha sonora do filme "Fifty Shades of Grey".

Solta o som aí:











E aí? Curtiram? =)



"ISSO É TÃO BLACK MIRROR!", por mais que você não tenha visto Black Mirror, provavelmente já ouviu esse bordão. Ele é dito quando acontecem situações estranhas e semelhantes as vivenciadas pelos personagens da série.

Com um formato antológico (cada episódio conta uma história independente, com começo, meio e fim), a criação de Charlie Brooker faz reflexões acerca da influência da tecnologia na nossa sociedade.

Como eu sei que poucas pessoas ainda desconhecem Black Mirror, resolvi falar um pouquinho de cada episódio, colocando eles em forma de ranking (dos melhores para os "piores").

1) San Junipero (Temporada 3, Episódio 4)



Misturando ficção científica com drama e romance, "San Junipero" é o único episódio de Black Mirror com final feliz. Na história acompanhamos (por décadas) o romance das personagens Kelly e Yorkie.

2) Queda livre (Temporada 3, Episódio 1)



Com uma abordagem bem perturbadora, "Queda livre" mostra até onde uma pessoa está disposta a ir para ser notada nas redes sociais. É, sem dúvidas, o episódio mais atual e com certeza você vai se identificar com ele. E depois vai ficar mal por ter se identificado. É, Black Mirror tem dessas coisas...

3) Quinze milhões de méritos (Temporada 1, Episódio 2)



Escravidão, realidade virtual, programas de entretenimento... Tudo isso e muito mais é abordado em "Quinze milhões de méritos", um dos episódios mais emocionantes e perturbadores da série.

4) Manda quem pode (Temporada 3, Episódio 3)



Lembrando um pouco a Baleia Azul, o episódio conta a histórias de pessoas que são hackeadas e obrigadas a fazer tudo o que lhe pedirem. Caso contrário, seus segredos mais sujos serão revelados.

5) Versão de testes (Temporada 3, Episódio 2)



Um testador de uma versão beta de um jogo, que tem como vilões os medos de quem joga, passa por maus bocados nesta "versão de testes". É o episódio mais assustador e triste da série.

6) Toda a sua história (Temporada 1, Episódio 3)



Em "Toda a sua história" existe uma tecnologia que permite que as pessoas possam re-assistir (e mostrar para as outras pessoas) suas memórias. Isso, claro, traz problemas para Liam, que estava suspeitando da "amizade" da sua esposa com um velho amigo dela.

7) Volto já (Temporada 2, Episódio 1)



Uma linda e bizarra história de amor é contada em "Volto já", episódio que aborda a possibilidade de trazer ente-queridos de "volta a vida".

8) Urso branco (Temporada 2, Episódio 2)



Com nuances de thriller psicológico, "Urso branco" conta a história de uma sociedade que faz (e televisona) justiça com as próprias mãos.

9) Natal (Especial de Natal)



Nem a época mais feliz do ano escapa de Black Mirror. Aqui são retratadas três histórias sobre descontroles tecnológicos, todas tendo como plano de fundo o clima natalino.

10) Hino Nacional (Temporada 1, Episódio 1)



"Hino Nacional" mostra como a sociedade adora ver o circo pegando fogo e a mídia ama fazer coberturas de desgraças.

11) Odiados pela nação (Temporada 3, Episódio 6)



Mesmo tendo amado a pegada policial do episódio e o que ele propõe (mostrar as consequências de propagar o ódio nas redes sociais), admito que foi cansativo ver o desenrolar da trama nos longos 89 minutos de duração.

12) Momento Waldo (Temporada 2, Episódio 3)



Não é de se estranhar que o único episódio da série que aborda a política seja um dos que menos gosto (Obs: Eu odeio política).

13) Engenharia reversa (Temporada 3, Episódio 5)



Eu não sei explicar o motivo que me fez não gostar de "Engenharia reversa ", mas é fato que, dos 13, esse episódio foi o mais intragável. Não via a hora de acabar! Para não dizer que ele é de todo ruim, gostei da maneira como referenciaram o Holocausto.


E aí? Ficou com vontade de conferir Black Mirror? Todos os episódios da série estão disponíveis na Netflix.