E quem disse que jogos não podem entrar no ramo da música? League of Legends vem inovando nos últimos anos ao criar músicas temas para seus campeonatos e personagens. Além disso, foi além e criou sua própria banda: a Pentakill! No post de hoje eu trago músicas que foram criadas exclusivamente para o jogo.

Solta o som aí:












E aí, qual a que vocês mais gostaram? A minha favorita é "A Maldição da Múmia Triste". Quase choro ouvindo essa música! :(



Vez ou outra eu quero indicar alguns filmes para vocês, mas nunca acho uma oportunidade certa para fazer isso. Pensando nisso, resolvi criar essa coluna. Nela, indicarei 5 filmes dos atores que mais gosto.

Para a estreia, temos Emma Roberts! A sobrinha da Julia Roberts e queridinha do Ryan Murphy (já apareceu em duas temporadas de American Horror Story e em duas de Scream Queens) ainda tem poucos grandes papéis em longas, mas por mais que apareça em poucas cenas, de uma coisa é certa: ela consegue chamar atenção! ^^

Confiram agora minhas 5 indicações de filmes com a Emma:

1) Idas e Vindas do Amor (2010)



Trailer:



2) Nerve: Um Jogo Sem Regras (2016)


Trailer:



3) Família do Bagulho (2013)


Trailer:



4) Se Enlouquecer, Não se Apaixone (2010)


Trailer:



5) Pânico 4 (2011)


Trailer:





Título: Uma Bolota Molenga e Feliz
Título Original: Big Mushy Happy Lump
Autora: Sarah Andersen
Ano: 2017
Páginas: 136
Editora: Seguinte
Sinopse: As incríveis tirinhas de Sarah Andersen são para nós, que não economizamos dinheiro na livraria, vivemos à base de café, deixamos tudo para a última hora, somos especialistas em roubar o blusão alheio, não sabemos nos comportar em situações sociais e insistimos em Pensar Demais. Esta segunda coletânea continua exatamente onde a primeira parou: debaixo de uma pilha de cobertas, evitando as responsabilidades do mundo real. Este volume traz tiras que acompanham os altos e baixos da montanha-russa implacável que é o começo da vida adulta, além de ensaios ilustrados sobre experiências pessoais da autora ligadas a ansiedade, carreira, relacionamentos e amor por gatinhos. Tudo isso com o mesmo tom sincero, leve e divertido que já conquistou mais de 2 milhões de fãs no Facebook.

*Exemplar cedido pela editora

"Uma Bolota Molenga e Feliz" é a segunda coleção de tirinhas da Sarah Andersen. O novo volume possui um caráter bem mais intimista e pessoal do que o seu antecessor ("Ninguém Vira Adulto de Verdade") e vem recheado com críticas à nossa sociedade moderna.


O livro já chama atenção​ por ter um bem-vindo diferencial: a inserção de textos com experiencias pessoais da autora que complementam as tirinhas. Isso me surpreendeu pelo simples fato de que eu não achava que o trabalho de Sarah era autobiográfico. Ao ver que algumas tirinhas são representações fiéis de situações que ela já viveu acabei gostando ainda mais da obra e criando um carinho muito grande por Andersen. É muito bom ver que a moça é gente como a gente e sofre por pensar demais, ser um desastre em interações sociais e ter problemas de autoestima.

O mais bacana é o humor empregado por Sarah nas tirinhas que possuem temas delicados. Venhamos e convenhamos, uma pessoa que chega a dizer que se odeia (eu e Sarah fazemos isso às vezes, tá?) não é algo para rir. Muito pelo contrário, é algo para se preocupar. Mas o tom adotado pela autora na hora de retratar essas situações é bem zoeiro, o que faz com que a gente passe a fazer piada de si próprio e perceber que talvez estejamos exagerando um pouco rs

Como disse no começo da resenha, "Uma Bolota Molenga e Feliz" está recheado de críticas. Isso me surpreendeu de forma positiva. As alfinetadas que Sarah dar nos homens que não demonstram sentimentos para outros homens por terem medo de parecerem gays, na objetificação das mulheres e nas fraudes artísticas são simplesmente deliciosas e bem afrontosas. Pisa menos, Sarah Andersen!


Ao encerrar a leitura de "Uma Molenga e Feliz" só consegui pensar em duas coisas: "Esse livro foi feito para mim!" e "Ainda vai demorar muito para a Seguinte lançar mais um livro da autora?". Amei, amei e amei. Por fim, gostaria de elogiar a editora pelo excelente trabalho feito na edição desse livro. Além da capa dura e folhas grossas, há uma "abrasileirada" em algumas tirinhas, o que torna tudo mais legal e fácil de se identificar.

Algumas fotos do livro:






Nota: