Título: Aimó
Subtítulo: Uma viagem pelo mundo dos orixás
Autor: Reginaldo Prandi
Ilustrador: Rimon Guimarães
Ano: 2017
Páginas: 258
Editora: Seguinte
Sinopse: Imagine se encontrar, de uma hora para a outra, em um mundo totalmente desconhecido onde você não conhece ninguém e ninguém demonstra saber quem você é. É o que acontece com uma menina nascida na África e levada para o Brasil para ser escrava, e que de repente acorda em um lugar estranho, habitado pelos deuses orixás e pelos espíritos dos mortos que aguardam o momento de seu renascimento. Ela não sabe mais o próprio nome nem lembra de sua família — está sozinha e não tem a quem pedir socorro. Por isso, aliás, ganha o nome Aimó, “a menina que ninguém sabe quem é”. Tudo o que ela quer é retornar ao seu mundo de origem, mas para tornar isso possível, Aimó vai partir em uma longa jornada através dos tempos mitológicos, guiada por Exu e Ifá, e vai acompanhar de perto muitas aventuras vividas pelos orixás. Só assim poderá reunir o conhecimento necessário para fazer uma escolha que lhe permita, enfim, voltar para casa.

*Exemplar cedido pela editora

Aimó Omobinrin é uma africana escrava que vivia no Brasil e morreu ainda jovem, sendo levada para o Orum, a morada de todos os mortos e dos deuses. Esse nome, Aímó, significa uma menina "esquecida, que ninguém sabia quem era, uma desconhecida”, e isso porque ninguém na Terra se lembrava dela ou chamava pela garota, o que impedia que a mesma fosse identificada ou até mesmo se reencarnasse e voltasse ao mundo dos vivos, o Aiê.


Nem mesmo a própria Aimó sabia das suas origens, o que a fez ficar extremamente triste e desiludida, perdendo as esperanças de um dia poder reencontrar seu povo no Aiê. Chorou tanto que suas lágrimas foram capazes de inundar o palácio de Olorum, o deus primordial, pai de todos os outros deuses orixás, que dormia um soninho de nada mais nada menos que quatrocentos anos. Olorum, ao ouvir a história da menina, imediatamente convocou Ifá e Exu, deuses que ajudariam a garota a encontrar sua família na Terra.

Aimó deverá escolher um dos principais orixás pela qual será filha ao renascer no Aiê, e todo esse ‘processo seletivo’ é retratado do comecinho até o final do livro. Tal processo mostra várias histórias de alguns orixás e algumas tradições das crenças africanas. Foi muito divertido para mim descobrir a existência de tantas culturas e tradições diferentes das religiões de matriz africana.


O Reginaldo Prandi já publicou mais de 30 livros no total, dentre os quais os mais famosos retratam as religiões afro-brasileiras, com uma linguagem acessível a todos. Com Aimó não é diferente, o livro é repleto de figuras e a escrita do autor é extremamente simples e compreensível. Senti a necessidade de ler o livro inicialmente para “conhecer um pouco mais sobre a umbanda”, e me surpreendi ao perceber que, na verdade, não é só essa religião que usa esses termos (olorum, orixás, etc). Aprendi muita coisa lendo Aimó. Pra se ter uma noção, o autor também tenta desconstruir alguns preconceitos que são comuns na maioria das pessoas que não têm conhecimento sobre tal tema, por exemplo, o Exu, sinônimo de diabo no Brasil, pode ser considerado como um herói na trama e um dos personagens principais.

A edição da editora Seguinte está impecável. O estilo do livro é bastante interessante e chamativo, tendo diversas ilustrações durante todo o decorrer da história. Os capítulos são bem curtinhos, do jeito que eu gosto, e as folhas são bem resistentes. Pra quem não pretende ler o livro usando a desculpinha de ‘ah, não conheço esses termos e os acho difíceis de entender’, pode ir parando u_u, o glossário ao final da obra conceitua todos os termos ‘complicados’ citados na obra. Recomendadíssimo!

(Bônus: pra quem se interessou pela obra, nesse link vocês podem conferir o primeiro capítulo do livro: https://www.companhiadasletras.com.br/trechos/55137.pdf 💞)

Nota:







20 Comentários

  1. Oi Leandro,
    Que livro rico de cultura e a edição parece estar linda.
    As vezes é bom, levar a mente para ares mais realistas. Adorei a dica!

    tenha uma ótima quinta =D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nana,
      Fico feliz em saber que gostou!

      Ótima quinta. ;]

      Excluir
  2. Oi Leandro!
    Eu não conhecia o livro, mas simpatizei com ele.
    Realmente é fácil termos uma interpretação errada de coisas que não conhecemos. Confesso que o tema não me interessa muito, mas acho os esclarecimentos que o autor presta bem válidos.
    Beijos,
    Alem da Contracapa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mari,
      Sim, é bem complicado mesmo. O autor é excelente ^^

      Beijos ;*

      Excluir
  3. Não conhecia esse livro, a temática não é algo tão usual em Portugal, mas as ilustrações parecem ser muito bonitas e gosto do facto de ter capítulos pequenos, ser informativo, cheio de cultura =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie,
      São bem bonitas, sim!! (^-^)v

      Abraços ;*

      Excluir
  4. Oie
    Nossa, amei o tema deste livro, achei super interessante e já fiquei com vontade de ler.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooi Nessa,
      Ah, que ótimo! Espero que a leitura te agrade ;)

      Beijos.

      Excluir
  5. Olá, Leandro.
    Deu para ver que o livro é uma excelente fonte de informação sobre o assunto. Mas eu não leria por evitar ler livros que falem sobre qualquer religião. Como sou evangélica, não gosto de misturar as coisas e por isso leio mais ficção.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil,
      É um assunto bem delicado, super entendo o seu lado! ;)

      Beijos.

      Excluir
  6. Oi Leandro,
    Realmente, o glossário pode salvar vidas e acabam com as desculpas.
    Parece uma história bem diferente de tudo que eu li, até porque não é um tema comum para mim. Sou católica e não sei muito desse assunto dos deuses.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ale,
      É um tema um tanto diferente pra mim também!! Minha família é quase toda católica, super entendo isso hehe ;D

      Beijos.

      Excluir
  7. Oi, Leandro!
    Adorei a sua resenha, muito esclarecedora! O meu problema no caso não seria nem a compreensão das palavras, já que de fato o glossário está lá pra ajudar, mas o livro não faz muito meu estilo :( ainda assim, é sempre bom sair da zona de conforto, e achei interessante o fato de o autor desconstruir certos preconceitos, de forma que traz muitas informações ao leitor e o faz refletir bastante.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Carol,
      Muitoo obrigado!! Sim, é sempre bom sair da zona de conforto! Nunca tinha lido nada do gênero e me surpreendi. Mas claro que não somos obrigados a nada hahah =P

      Beijos ;*

      Excluir
  8. Uau Leandro, que tema excelente para ser trabalhado! Amei, além de parecer uma edição incrível! Não conhecia o livro e nem o autor, mas pela resenha já estou achando sensacional!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Ola,
    Eu nunca li nada sobre religiões afro-brasileiras, mas como estou querendo expandir meus horizontes na leitura esse ano com certeza vou tentar encaixar esse nas minhas leituras.
    Adorei a ideia do livro e principalmente o design da capa que está muito bonito.
    xoxo

    Planeta 94

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Ozzy,
      Expandir os horizontes faz muito bem! Espero que a leitura te agrade!!

      Beijoss.

      Excluir
  10. Oi Leandro, tudo bem?
    Ainda não conhecia esse, valeu pela dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Felipe,
      A temática não é tão conhecida mesmo!! \o/
      Abraços.

      Excluir