Título: Capitães da Areia
Autor: Jorge Amado
Ano: 2008
Páginas: 283
Editora: Companhia das Letras
Sinopse: Desde o seu lançamento, em 1937, Capitães da Areia causou escândalo: inúmeros exemplares do livro foram queimados em praça pública, por determinação do Estado Novo. Ao longo de sete décadas a narrativa não perdeu viço nem atualidade, pelo contrário: a vida urbana dos meninos pobres e infratores ganhou contornos trágicos e urgentes. Várias gerações de brasileiros sofreram o impacto e a sedução desses meninos que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. Verdadeiro romance de formação, o livro nos torna íntimos de suas pequenas criaturas, cada uma delas com suas carências e suas ambições: do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. Com a força envolvente da sua prosa, Jorge Amado nos aproxima desses garotos e nos contagia com seu intenso desejo de liberdade.

*Exemplar cedido pela editora

Difícil falar sobre "Capitães da Areia". O livro que marca o meu primeiro contato com o autor baiano Jorge Amado me passou tantos sentimentos que fica até difícil descrevê-los em uma simples resenha.


A princípio, fui tomado por um choque grande (dadas as condições em que viviam os Capitães da Areia) e uma surpresa (Como é possível um livro de 1937 ser tão atual?). Surpresa esta que acabou se transformando em raiva (Raiva por perceber que o Brasil só fez regredir no decorrer dos anos. Por perceber que ainda hoje existem milhares e milhares de crianças que vivem nas mesmas condições do bando liderado por Pedro Bala.). Mas não transformarei esta resenha em uma crítica social, fiquem tranquilos. Jorge Amado já faz isso com louvor. Focarei apenas em dissertar sobre a fascinante, emocionante e revoltante trama criada pelo autor.

Alguém aqui ainda não conhece a trama do livro? Acho meio difícil, mas lá vai um pequeno resumo: "Capitães da Areia" conta a história de um grupo de meninos de rua que vivem em um trapiche abandonado. A sobrevivência deles se dar por roubos, mas por trás dessa fachada de marginalidade há sonhos e mais sonhos: Sem-pernas procura por um amor maternal que faça seu constante ódio sumir; Professor, sempre imerso nos livros, quer estudar arte e aprimorar seu dom de desenhar; Pirulito mal pode esperar pelo dia em que se tornará um Padre; Volta-Seca quer entrar para o bando de seu padrinho, o temido Lampião. E Pedro Bala quer trilhar os passos de seu pai, grande revolucionário e grevista.

"Vestidos de farrapos, sujos, semiesfomeados, agressivos, soltando palavrões e fumando pontas de cigarro, eram, em verdade, os donos da cidade, os que a conheciam totalmente, os que totalmente a amavam, os seus poetas." - página 29

E é com esses personagens tão distintos que Jorge Amado vai nos conquistando e emocionando a cada página. Impossível não se apegar a estes meninos e torcer por eles. Impossível também não ficar de coração partido ao conhecer a fundo suas histórias, os motivos que os levaram a ser quem são e a fazerem o que fazem. E é mais impossível ainda não ficar revoltado com a Sociedade que permeia os Capitães da Areia, que insiste em pensar que o que irá endireitar os garotos são surras, castigos, humilhações e torturas.

Foi como levar um soco no estômago ler as tantas e tantas cenas retratando a dura realidade vivida por esses meninos, mas posso dizer que foi um "soco no estômago" necessário. E além disso, o livro não se prende somente a essa dura realidade. Há muitos momentos em que as crianças, tão acostumadas a viverem como homens, passam a agir como crianças, como na emblemática e emocionante cena do Carrossel.

"Apelidaram-no de Professor porque num livro furtado ele aprendera a fazer mágicas com lenços e níqueis e também porque, contando aquelas histórias que lia e muitas que inventava, fazia a grande e misteriosa mágica de os transportar para mundos diversos, fazia com que os olhos vivos dos Capitães da Areia brilhassem como só brilham as estrelas da noite da Bahia." - página 32

E é assim, intercalando cenas duras com leves e o real demais com um poetismo e lúdico agradáveis, que Jorge Amado acaba nos entregando um livro excelente e memorável.

Por falar em Jorge Amado, quero elogiá-lo pela sua escrita deliciosa. O autor consegue, com várias e várias cenas muito descritivas, nos transportar facilmente para a Bahia. Uma Bahia fascinante, repleta de cores, sabores e todos os santos.

"O que ele queria era felicidade, era alegria, era fugir de toda aquela miséria, de toda aquela desgraça que os cercava e os estrangulava. Havia, é verdade, a grande liberdade das ruas. Mas havia também o abandono de qualquer carinho, a falta de todas as palavras boas. Pirulito buscava isso no céu, nos quadros de santo, nas flores murchas que trazia para Nossa Senhora das Sete Dores, como um namorado romântico dos bairros chiques da cidade traz para aquela a quem ama com intenção de casamento. Mas o Sem-Pernas não compreendia que aquilo pudesse bastar. Ele queria uma coisa imediata, uma coisa que pusesse seu rosto sorridente e alegre, que o livrasse da necessidade de rir de todos e de rir de tudo. Que o livrasse também daquela angústia, daquela vontade de chorar que o tomava nas noites de inverno. Não queria o que tinha Pirulito, o rosto cheio de uma exaltação. Queria alegria, uma mão que, o acarinhasse, alguém que com muito amor o fizesse esquecer o defeito físico e os muitos anos (talvez tivessem sido apenas meses ou semanas, mas para ele seriam sempre longos anos) que vivera sozinho nas ruas da cidade, hostilizado pelos homens que passavam, empurrado pelos guardas, surrado pelos moleques maiores."  - página 38

E os personagens então? Todos extremamente cativantes, complexos e bem construídos. Destaque para Sem-Pernas, Pedro Bala, Dora, Padre José Pedro, Pirulito, Gato, Professor e Volta Seca.

O trabalho da Companhia das Letras continua fenomenal. Além da ótima capa, diagramação e revisão, a edição possuí um posfácio de Milton Hatoum, uma cronologia contando toda a história de Jorge Amado e outros materiais extras.

"E os dois riem, e logo a risada se transforma em gargalhada. No entanto, não têm mais que uns níqueis no bolso, vão vestidos de farrapos, não sabem o que comerão. Mas estão cheios da beleza do dia e da liberdade de andar pelas ruas da cidade." - página 136

Sendo assim, só me resta recomendar esta excelente obra. Leiam "Capitães da Areia" e deixem Jorge Amado desfazer esse mito que diz que os clássicos da nossa literatura brasileira são chatos e enfadonhos.


Nota:

34 Comentários

  1. Oi,
    que resenha mais linda <3
    nunca li o livro mas tenho muita vontade, acho que falta vergonha na cara kkk
    adorei ver o livro aqui!
    Bj


    @saymybook
    saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Denise! Awn, obrigado. Espero que você possa ler o livro em breve! :D

      Excluir
  2. Adorei sua resenha, e sim, é revoltante como passam os anos e nada muda, e pior, ate piora.
    Tenho uma amiga que é apaixonada por esse livro, cheguei a comprar por causa dela mas ainda não li, tenho muita curiosidade por que ela também é só elogios com a história e o autor.
    xoxo

    Planeta94.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jason! Fico feliz em saber que você curtiu a resenha! :) Espero que você possa ler o livro em breve e gostar dele tanto quanto eu gostei.

      Excluir
  3. Oi Tony!
    Esse é o meu clássico favorito *-*
    Como eu amo essa história, eu li obrigada sim, mas me emocionei. Me envolvi. Nossa, que saudade desse livro. <3
    E devo dizer: parabéns pela resenha. Você absorveu o livro, sabe? Parece que você realmente o amou. Ficou ótimo!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ale! Aconteceu o mesmo comigo! Me emocionei e apaixonei pelo livro! <3 Ahhh obrigado, fico feliz em saber que você achou isso da minha resenha! :)

      Excluir
  4. Pqp, como amo de paixão esse livro. Lembro que o li há tipo uns 7 anos atrás na oitava série! Eu não tava acreditando no que estava em minhas mãos, nunca gostei tanto de uma obra brasileira como esta. Sua resenha está demais e os quotes <3

    bjs,
    Carol | Espilotríssimo
    http://carolespilotro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol! O livro é incrível, né? Fico feliz em saber que você achou isso da minha resenha! :)

      Excluir
  5. Olá, Tony! Tudo bem?
    Já li uma versão econômica deste livro, no período do colégio e gostei bastante. Pretendo adquirir uma versão mais completa, como essa sua. Acredito que assim como você, vou gostar bastante.

    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Renato! Tudo ótimo e contigo? O livro é ótimo, né? E essa edição também. Vale super a pena adquiri-la! :)

      Excluir
  6. Olá, Tony.
    Em primeiro lugar quero parabenizá-lo pela excelente resenha. Eu que não tinha vontade de ler o livro, fiquei querendo ler. Eu já li dois livros do autor e já conheço a escrita dele, e fiquei muito interessada nesse também. E que edição linda da editora.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil! Muito obrigado! <3 Capitães da Areia é ótimo, tenho certeza que você vai gostar dele! :)

      Excluir
  7. Oi, Tony ony! Tudo bem contigo, moço bonito?

    Cara, que resenha sensacional! Nunca li nada do Jorge Amado mas depois da sua resenha, fiquei tentada a conhecer essa obra dele. Uma professora de Língua Portuguesa do ensino fundamental me recomendou esse título e outros clássicos da nossa literatura, porém acabei escolhendo outro, do José de Alencar e nunca mais pensei em ler esse. Obrigada por atiçar o meu interesse de novo!

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros | Página no Facebook | Twitter docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jeni! Tudo sim e contigo? Ah, obrigado. Espero que você possa ler o livro em breve e gostar dele tanto quanto eu gostei! ^^

      Excluir
  8. Oi Toninho! Você é um danado, viu! Que escrita linda e que competência de criar uma resenha tão empolgante! Se eu já não tivesse lido Capitães da Areia com certeza correria pra ler agora. O problema é que não gosto de romance regionalista e naturalista, nem gosto das obras do Jorge Amado, que ironicamente é um escritor da minha terrinha.
    Mas... é isso.
    Adoro essa capa. a companhia sempre linda, criando capas ótimas!

    Abraço.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Di! Ah, sou nada! haha Mas obrigado pelos elogios! <3 Sério que você não gosta de obras com uma pegada regionalista? Eu adoro! :)

      Excluir
  9. Hey Tony!
    Jorge Amado é um arraso da nossa literatura <3 Esse livro então é excelente e tocante. Realmente nos deixa perturbados com a realidade dita. Arrasou na resenha!
    Beijos, Garota Vermelha
    www.livrosdagarotavermelha.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nath! Concordo em gênero e grau com você! :) Obrigado! <3

      Excluir
  10. Helloo, Lucas! Tudo numa nice?!
    Eu tenho graves problemas com clássicos e cânones, só leio mesmo quando necessito ou se me der muuuita vontade, o que quase nunca acontece. Quer dizer, eu estou com vontade de ler algumas obras devido aos comentários dos meus colegas de faculdade sobre algumas estórias, mas no geral é difícil despertar o interesse em mim.
    Eu tinha que ler esse livro no meu último ano do ensino médio, mas não o fiz por preguiça e porque eu não me importava e nem lia muito de verdade. As pessoas comentaram bem sobre esse livro e tenho uma amiga que realmente gostou demais.
    Eu pensei em lê-lo porque um monte de gente já leu e não porque tenho vontade, apesar de eu achar ótimo uma crítica social. Talvez pelos vários comentários que vi por aí e as análises literárias que acompanhei da obra e que já estragou a surpresa, ou não.
    Enfim, que bom que você gostou de verdade.
    Ótima resenha.
    Beijin...
    Pieces of Alana Gabriela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alana! Tudo sim e contigo? Te entendo. Mas espero que algum dia você dê uma chance para esse e outros clássicos e acabe adorando todos! :)

      Excluir
  11. Olá Tony,
    Já tive outra versão desse livro e não tive a oportunidade de ler ele, pois estava na minha mochila e ela foi roubada :(
    Resenha incrível!
    http://blogmichaelvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michael! Poxa, que coisa, né? :/ Obrigado! :)

      Excluir
  12. Olá! Quero parabenizá-lo pela excelente resenha. Eu que não tinha vontade de ler o livro, fiquei querendo ler.

    Te seguindo
    http://blogdaadilene.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá, Tony, tudo bem?

    Infelizmente ainda não li nada do Jorge Amado, não faz muito tempo que realmente passei a amar a leitura, então muitos clássicos ficaram para trás! Fiquei emocionada com sua resenha de verdade, fiquei como uma incrível vontade de ler, como você mesmo disse e triste saber que o Brasil não consegue dar paço de cada vez ou realmente se focar no que importantes, cosas que já deveriam ter mudado faz tempo.

    Beijinhos

    http://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ingrid! Tudo bem? Ahhh que bacana saber disso, fico feliz que você tenha gostado tanto assim da resenha! :) Espero que você possa ler "Capitães da Areia" em breve.

      Excluir
  14. Oi Tony !! Tudo bem ?
    É uma pena mesmo ver que o Brasil em vez de evoluir está estacionado ou as vezes até regredindo mesmo !! Eu adorei ver sua resenha e fiquei com muita vontade de poder ler o livro *-*
    Bjim

    Paty
    blogpatyrezende.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paty! Tudo ótimo e contigo? Pois é, é uma pena mesmo :/ Fico feliz que você tenha curtido a resenha! :)

      Excluir
  15. Oi Tony, tudo bom?
    Tenho curiosidade e um certo receio para ler esse livro. O receio é pela linguagem ser mais antiga e o medo de me perder um pouco na leitura, mas a curiosidade é tanta para conhecer essa história que logo, logo irei ler, ainda mais depois da sua resenha.
    Beijos, http://lendocomabianca.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bianca! Tudo ótimo e contigo? Não tem como se perder não, fique tranquila! :)

      Excluir
  16. Oiii Tony, tudo bem? Nunca li nada do autor, acredita? mas morro de vontade de ler. E esse ano estou lendo vários autores que eu queria conhecer há tempos e espero conseguir adicionar o Jorge Amado. E esse, inclusive é o livro que mais desejo ler. Quer dizer, parando para pensar, são vários que eu quero ler. Mas esse com certeza é um. E é realmente uma pena que a história ainda continua atual.
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gih! Tudo ótimo e contigo? Nossa, sério? Mas devia ler, viu? Espero que você leia Capitães da Areia e goste tanto quanto eu gostei! :)

      Excluir
  17. Oi Tony,
    gosto muito de Jorge Amado, embora Capitães de Areia seja um título dele que ainda não tive o prazer de ler. Adoro esses autores que mesmo com o passar dos anos conseguem ainda ser super atuais e, no caso de Jorge Amado, especificamente, nos mostrar muito sobre a cultura do nordeste. Muito boa a resenha, principalmente sua observação de que os classicos da literatura brasileira não devem ser encarados com preconceito, de serem chatos e enfadonhos.
    Bjs*.*
    MaH

    O que disse, Alice?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, MaH! Também adoro esses autores que conseguem ser super atuais! E ah, espero que você possa ler "Capitães da Areia" em breve! :)

      Excluir