Eu estava com um frio na barriga do momento que​ saí de casa até o momento que cheguei no local onde íamos nos ver.

Eu olhei para um lado. Para o outro. Não te vi. "Será que você não vai vir​?", pensei. Tempo vai, tempo vem. Começo a falar ao telefone. Estou aos berros quando vejo você vindo em minha direção. Meu coração acelera. Sorrio para você, mas você está olhando para o outro lado. Aí você chega e estamos de frente um para​ o outro. Eu rio de nervoso, porque quero te abraçar, mas minha mãe não para de falar ao telefone. Ela para. Eu te dou um "oi" tímido e nos abraçamos.

E assim a tarde passa. Vamos conversando (eu falando mais que o homem da cobra, para variar), caminhando, conhecendo (no seu caso, revisitando) lugares e tudo para mim é surreal. É um pouco estranho poder finalmente ver e tocar a pessoa que eu conversava há meses através das redes sociais. Ok que trocamos áudios, fotos (até nudes)... E conversamos tanto por ligação como vídeo, mas é diferente, sabe? Agora não tem a opção de visualizar e responder depois, ou mandar só um emoji ou um gif. A conversa está acontecendo a todo instante e é preciso pensar rápido. Talvez por isso os momentos de silêncio... Você até notou em certo ponto. "Por que você tá calado?", você me perguntou. E eu disse "Estou vivendo o momento. Tentando gravar cada pequeno detalhe em minha mente para reviver tudo depois."; Pode ter parecido uma desculpa esfarrapada para explicar os momentos de silêncio, mas não foi.

Uma amiga uma vez me disse que o que ela acha incrível em mim é minha capacidade de ser de momentos. Ela disse algo como "Por mais que hoje não seja o último dia, você vai fazer de tudo para aproveita-lo como se fosse. Você vai sorrir, você vai amar, você vai se entregar... Gosto disso em você, você vive por momentos."

Então foi isso. Eu vivi aquela tarde como se fosse a última. É claro que minha maldita insegurança​ e a estúpida timidez não me permitiram fazer tudo o que eu queria fazer com você. Mas eu tentei. Me esforcei ao máximo pra fazer as coisas que sempre quis fazer com você. Eu falei muitas besteiras? Falei. Agi como um idiota? Agi. Mas você sabe, de certa forma, era meu primeiro encontro. Então eu não sabia muito bem o que fazer. Mas foi incrível. Divertido até. Mágico. Eu ainda sinto o gosto de sua boca, o seu cheiro e o calor dos seus braços quando ficamos abraçados. Sinto cada parte do seu rosto que eu fiz questão de tocar por completo. Lembro do nosso medo dos saguis que pareciam que nos iam atacar a qualquer momento, das folhas secas no chão e do seu sorriso. Ah, maldito sorriso que não sai de jeito nenhum da porra da minha cabeça!

Eu sei que para você só foi mais uma ficada. Talvez até uma ficada que você nem vai lembrar daqui há alguns anos. Mas para mim foi épico. Eu me senti épico. Se eu pudesse voltar no tempo, eu faria algumas coisas diferentes. Teria falado menos e agido mais. Teria relaxado mais. Teria mandado minha insegurança catar coquinho e sido eu mesmo. Mas a gente não pode voltar no tempo, né? E eu fico aqui pensando: se nada desses pequenos detalhes inusitados tivessem acontecido... Não teria sido tão único. Tão especial.

Por mais que não tenha dado certo, foi legal. Foi legal para caralho. Vou lembrar para sempre daquela tarde, de você e do que você me fez sentir. Talvez você nunca leia isso, mas obrigado por ter feito eu me sentir.... Épico.

***

Esse foi o primeiro texto que resolvi postar aqui no blog. Dependendo do feedback, posso trazer mais.


9 Comentários

  1. Sem palavras! Senti tanta emoção e verdade em cada palavra, q me fez reviver a emoção de estar ao lado do meu "alguem especial" q assim como o texto, só poderei ter em lembranças... Incrível, ameiiiii❣️

    ResponderExcluir
  2. Ficou incrível! Continue publicando, Tony! Você tem talento com as palavras. ❤

    ResponderExcluir
  3. Oi, Tony!

    Pode trazer mais textos pra já! Adorei! Você escreve muito bem, e soube expressar com clareza todos os sentimentos que o protagonista experimentou e como o momento que passaram juntos foi único e inesquecível pra ele. Tá de parabéns, gostei muito mesmo!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Tony,
    Que lindo seu texto...Eu já tive dois "amores virtuais" mas nas duas vezes, não tive sorte quando foi para o ao vivo. Seu texto me deixou com uma sensação linda.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  5. Oi, Tony.
    Gostei muito do texto.
    Esse lance de encontro às vezes acontecem coisas inesperadas e que não queríamos que acontecesse.
    Mas o importante é focar no que houve de positivo e sorrir das coisas boas, aprender com os erros e seguir em frente.
    Belo texto.
    Abraços.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir
  6. Oi, Tony!
    Nossa! Me indiquei demais com seu texto, sobre o lance de ser só um ficada pra alguém, mas pra gente ser algo diferente. Traga mais textos sim!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Oi, Tony

    Traz mais textos simmm!!! Quem nunca se sentiu assim, né? Eu acho muito legal quando a gente faz tudo para aproveitar os momentos, para gravá-los na nossa memória para pensarmos nele para sempre!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Tony,
    Eu estava com saudades dos seus textos!!!!!
    Traga mais deles por aqui <3 <3 <3
    Parabéns, está sensível, delicado, lindo demais.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. É um belo texto Tony, pode trazer mais sim senhor =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir